segunda-feira, 8 de junho de 2009

Questões Comentadas - Pressupostos e Subentendidos FGV

Olá concurseiros!
Inicialmente, o gabarito das questões propostas no post anterior é: 1-C e 2-C.
Na primeira questão, percebe-se a existência de 3 pressupostos em virtude das palavras "infelizmente", "ainda" e "parou".
Na segunda, não se pode subentender que choveu anteriormente por conta do tempo estar nublado.
Como prometido, analisarei algumas questões sobre pressupostos e subentendidos da FGV. Nada melhor do que colocarmos em prática aquilo que acabamos de aprender certo?!
Vejamos como o assunto foi cobrado nos dois concursos para fiscal de rendas do RJ, no ano de 2008:

(FGV / ICMS-RJ / 2008-1): Com base na leitura do texto, analise os itens a seguir:

I - Em "Portanto, a necessidade de as gerações atuais preservarem recursos para as gerações futuras também se dá no que tange aos recursos públicos." o termo grifado colabora com a identificação de um pressuposto.

II - Em "Não mais se concebe uma atuação estatal efetiva sem uma apurada reflexão sobre os gastos públicos, seus limites e sua aplicação." Na identificação dos implícitos, observa-se um pressuposto.

III - Em "Enquanto o primeiro, normalmente, se adstringe a situações futuras próximas, o
segundo vincula-se a situações futuras a longo prazo." A leitura só se efetiva se o leitor identificar os subentendidos.

Assinale:
(A) se somente os itens II e III estiverem corretos.
(B) se somente os itens I e II estiverem corretos.
(C) se todos os itens estiverem corretos.
(D) se nenhum item estiver correto.
(E) se somente os itens I e III estiverem corretos.

I - Como vimos anteriormente, um pressuposto pode ser identificado a partir de uma informação implícita decorrente de uma palavra ou expressão expressa, ou seja, é necessário que exista uma palavra na frase que nos permita identificar o pressuposto.
A palavra "também" é um claro exemplo de pressuposto, já que percebemos uma ideia de adição, isto é, de que "se dá no que tange aos recursos públicos" é apenas um dos possíveis exemplos de preservação de recursos.
Só para relembrarmos, por conta desse pressuposto, o implícito é verdadeiro, mesmo que o autor do texto negue sua veracidade, já que temos a palavra "também" como prova.
Item correto!

II- Pelo que foi exposto no item I, acredito que não haja dúvidas quanto à informação pressuposta neste item. A partir do momento que o autor utiliza a expressão "não mais", nem é preciso ler o resto da frase. Temos um pressuposto temporal: algo era verdadeiro, no caso, "uma atuação estatal efetiva sem uma apurada reflexão sobre os gastos públicos, seus limites e sua aplicação" num certo momento anterior, mas que já não o é na época em que o texto foi escrito.
Item correto!

III- Temos aqui a opção mais fácil! Apesar de não estarem marcados, não é difícil perceber que a questão se refere aos termos "primeiro" e "segundo", que exercem função anafórica, ou seja, se referem a termos anteriormente expressos. Além disso, não é preciso saber esse conceito, desde que tenhamos em mente que um subentendido é uma informação totalmente escondida na frase. Não há uma palavra, como no caso do pressuposto, explicitando a ideia.
Item errado!

Gabarito: letra B

Curiosidade: na primeira vez que fiz essa questão, errei da pior maneira possível: marquei a letra D. Mas aí vocês podem dizer: "Ah Diego, mas pelo menos uma você acertou uma!". O pior foi que a única questão que eu "tinha certeza" de estar correta era a III, justamente a errada! Talvez isto tenha acontecido com vocês também, já que a banca fez uma pegadinha com a ideia de função anafórica (assunto de que será tratado nos próximos posts).

Essa questão já foi analisada em outros blogs, muitos de vocês já deviam conhecer a resolução. Procurei analisá-la de forma diferente, usando todos os conceitos do post anterior, de forma a torná-la o mais simples possível. Agora vamos analisar a questão que caiu na segunda prova:


(FGV / ICMS-RJ / 2008-2) No Brasil, o debate sobre ética tributária só recentemente ganhou vulto em decorrência do aumento da carga tributária, da expansão da “indústria de liminares”, do visível aperfeiçoamento da administração fiscal, da estabilidade econômica e da crescente inserção do país na economia globalizada. Na maioria dos países desenvolvidos, com cultura tributária mais amadurecida, esse debate é mais limitado, porque praticamente restrito a discussões sobre a pressão fiscal nociva (harmfull tax competition). Com base na análise do trecho acima, não é correto afirmar:

a) fica subentendido que o debate sobre ética tributária no Brasil anteriormente era de pouca
expressividade.
b) a noção de "países desenvolvidos" é pressuposto para a leitura do texto.
c) está implícito que o Brasil cada vez mais se insere na economia globalizada.
d) se pode inferir que, nos países ainda não desenvolvidos, a cultura tributária ainda não
amadureceu.
e) se pode inferir, também por paralelismo no parágrafo, que o Brasil não está entre os países
desenvolvidos.

Percebam que a questão, se compararmos com a anterior (que já não era tão difícil), está incrivelmente fácil. Costumo chamar esse tipo de questão de "ponto obrigatório", ainda mais em provas de português da FGV. Por outro lado, não devemos nos descuidar desse assunto, pois é muito provável que a banca tenha colocado uma questão mais simples por conta do baixo número de acertos da primeira prova. Como 90% dos candidatos deve ter acertado dessa vez, a tendência é encararmos uma questão, no mínimo, no estilo I, II, III..., que dificulta um pouco mais, na próxima prova. Mesmo assim, há algumas considerações a serem feitas.

a) acredito que quem errou a questão marcou essa aqui. Na minha opinião, não se trata de um subentendido, mas sim de um pressuposto. Entretanto, podemos perceber que o intuito da banca não foi cobrar a diferença entre os conceitos, como veremos a seguir.

b) temos sim um pressuposto a partir do adjetivo "desenvolvidos", outro tipo de palavra que em regra, apresenta ideias implícitas.

c) aqui está o erro! Muito mais claro do que na letra "a". Não temos um subentendido, pois a informação está explícita no texto. Vejam: "(...) e da crescente inserção do país na economia globalizada." Novamente, a banca tentou confundir os candidatos com um termo que faz referência a outro anterior.

d) e e) nas duas últimas alternativas, a banca usou o termo "inferir" (deduzir / concluir) em vez dos conceitos de pressuposto e subentendido, de forma que basta a leitura do parágrafo para identificarmos que as informações podem ser inferidas.

Não sei se houve recurso nessa questão, mas acredito que era possível, embora recorrer contra a FGV seja algo muitas vezes inútil. A banca quis facilitar demais e acabou complicando os candidatos que dominavam o assunto.

Atualização (25/06/09): Bom pessoal, descobri que a questão foi anulada. Pelo menos dessa vez a FGV mandou bem!

Curiosidade: a palavra "harmful" foi escrita de forma errada na prova. Ainda bem que não era prova de inglês né?!

Se algum de vocês tiver alguma questão sobre esse assunto e quiser que eu a comente aqui no blog basta enviá-la por email e postarei os comentários assim que possível ok?!

No próximo post, tratarei de mais um assunto recorrente nas provas da FGV, provavelmente complemento nominal x adjunto adnominal, outro assunto certo na prova.
Até lá!

Diego Garcia (Dimalkav)
dimalkav@yahoo.com.br



9 comentários:

  1. Olá, Diego. Parabéns pelo blog e pelos comentários. Você pode me indicar um livro que trata dos implícitos de forma detalhada? Entendi o conteúdo pelo que você comentou, mas gostaria de adquiri um livro. Acredito que seja livro de Semântica, mas não conheço quem conhece algum. Meu e-mail é: edilonr@netscape.net

    Obrigado.
    Edilon.

    ResponderExcluir
  2. Olá Edilon!
    Obrigado! Espero continuar contribuindo para o aprendizado de todos que tiverem a paciência de ler meus longos textos.
    Sobre o livro, eu fiz esse resumo justamente por não ter encontrado o assunto explicado em livro algum. O livro do Ilari, que citei no primeiro post apresenta apenas superficialmente o tema. Talvez algum livro acadêmico de semântica trabalhe o assunto de forma detalhada.
    Se o seu objetivo for fazer a prova da FGV, basta ter entendido a diferença entre os conceitos. Não acredito que a banca vá além disso. Até porque há diversas matérias a serem estudadas de forma mais aprofundada.
    Se eu souber de algum livro sobre o tema, posto aqui ok?!
    Abraço!
    Diego

    ResponderExcluir
  3. Olá Diego, meu nome é Zilda e sou estudante do curso de Letras/Inglês. Tenho um trabalho para entregar mas ainda estou com muitas dúvidas em relação a esse assunto. Quero muito sua ajuda, as frases são: Soraia, deixou de desfilar no pátio The Palace.
    Uma esposa é uma esposa. (observe-se tautologia).
    Na semana passada, meu amigo parecia ter melhorado.
    Nosso país ainda enfrentará outras crises.
    O naturalista voltou a atender na clínica do centro.
    Bom tenho que analisar o que está subentendido e o que está pressuposto em cada frase.

    ResponderExcluir
  4. Olá Zilda!
    Ficarei feliz em ajudá-la, mas seria melhor que fizéssemos isso por e-mail.
    Como não sei seu e-mail, esperarei que faça contato ok?!
    Meu endereço é dimalkav@yahoo.com.br

    Como exemplo, na frase "O naturalista voltou a atender..." o verbo "voltou" pressupõe a ideia de que algo tinha sido interrompido, mas está ocorrendo novamente.
    Veja que nem é preciso saber o assunto da frase. A partir dos outros elementos você identifica o "algo" que voltou a ocorrer.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. ADOREI O POST. DIEGO, CASA COMIGO?

    ResponderExcluir
  6. Diego me ajuda a entender: Infelizmente, meu pai ainda não parou de fumar. O "infelizmente" na frase não fica subentendido que estou triste? Pq a resposta é a C e não A. Livya

    ResponderExcluir
  7. Olá Diego, boa noite! Achei perfeito descobrir seu bolg, me ajudou muito em uma última prova que realizei da FGV, e por isso gostaria de poder contar c sua ajuda, se puder, vai colaborar muito comigo. Vou prestar uma prova para o interior de Minas, e que irá realizar a prova é a Exame auditores e consultores. Eles não estão aceitando disponibilizar provas anteriores...Você conhece algum tipo de questão deles?? Saberia me direcionar?Já teve ou tem algum modelo de provas de portugûês realizada por eles? Aguardo boas notícias!!rsrs!!
    Raquel/BH

    ResponderExcluir
  8. Professor, em relação a essa 1ª questão. O senhor poderia me dizer em qual acionador de pressuposição o "também" se encontra? Porque eu n consigo ver essa questão como correta:
    verbos factivos, implicativos, mudança de estado, temporais, iterativos, clivados... Obrigada.

    ResponderExcluir
  9. Muito bom seu blog! Me ajudou bastante :D

    ResponderExcluir